Quer ser feliz? Mergulhe na felicidade de corpo,mente e alma.

Ser feliz é uma questão de decisão própria e não um fator que foge ao seu controle. Mude sua escolha de “Quero ser feliz” para “Sou feliz” e sua vida inteira mudará.

Ser feliz. Essa é a busca de todo ser humano. Aliás, de todos os seres vivos eu diria. Afinal até mesmo um gato de estimação ao acariciar seu dono está buscando se sentir bem, e por consequência ser feliz.

Passamos a vida toda buscando a felicidade. E por incrível que pareça o que era para ser algo bom, se torna uma batalha, uma luta. Tornamos-nos infelizes por estarmos buscando ser felizes e não chegarmos lá nunca. É correto isso?

Quando somos crianças, imaginamos que seremos felizes quando ficarmos mais velhos.

Depois imaginamos que seremos felizes ao completar 18 anos e tirar a tão sonhada carta de habilitação. Depois, quando comprarmos um carro, quando entrarmos na faculdade, quando tivermos uma namorada (o), terminarmos a faculdade, depois quando fizermos pós-graduação, mestrado, doutorado.

Ahhh… quando casarmos seremos felizes….quando terminarmos de pagar o apartamento então sim seremos felizes. Quando tivermos filhos.

Quando nossos filhos crescerem e nos darem netos…quando aposentarmos…e assim vai.

Reparou um detalhe, que a felicidade fica sempre no futuro? Ou seja, seremos felizes, apenas quando estivermos felizes, que ironia não? Só que por essa felicidade sempre estar no futuro, não chega nunca.

“A felicidade está onde a pomos. Mas nunca a pomos onde nós estamos.”  Vicente de Carvalho

Pois é, vamos sempre jogando a felicidade para frente. Aí se encontra o perigo.

Para ser feliz de fato, você precisa se entregar de corpo, mente e alma.

A felicidade é mais ou menos assim: é saltar de um trampolim para uma piscina. Já vi muita gente subir no trampolim e recuar. Isso se chama medo. Não tem como saltar mais ou menos. Ou você se joga ou não.

Segundo Krishnamurti um dos filósofos mais respeitados do oriente, medo não se refere ao desconhecido, e sim de perder as coisas que conhecemos. Não temos medo do ato de pular em si, mas sim medo de deixar a prancha fixa do trampolim por exemplo.

Pois bem, e é esse medo que não pode nos dominar. Sentir medo não é o problema, um mestre também sente medo, ou você acha que o Valentino Rossi não sente medo quando está a 300 km/h na corrida de motovelocidade e tem uma curva a sua frente? Garanto que ele sente medo! Mas a diferença está em como ele reage diante do medo. Um amador se apavora, treme, e acaba errando a curva. Um Valentino Rossi respira, se concentra, e vence a curva. Essa é a pequena grande diferença.

É exatamente a mesma coisa em nossas vidas. Podemos sentir medo, mas temos que mostrar a ele quem manda.

Pensar que ser feliz depende de coisas externas seria o cúmulo da injustiça. Ser feliz só depende de você!

Não adie sua felicidade. Enfrente o medo.
Não espere ganhar na loteria para ser feliz.
Não espere o futuro para ser feliz.
Não espere ser feliz, para então ser feliz.

Seja feliz hoje! Se jogue, se entregue. Mas como diz a frase, se for nadar, nade. Mas nade de corpo, mente e alma. Não pare no meio do pulo.

Desfrute a vida!

😀

Luccas Ferreira
Luccas Ferreira
Formado na área de comunicação, pós-graduado em gestão de vendas, professor de marketing e palestrante. Faixa preta de kung fu, aprendeu nessa arte marcial milenar a disciplina e que o homem pode ultrapassar todos os seus limites físicos, mentais e espirituais, basta ter foco. Aventureiro, das 10 montanhas mais altas do Brasil já pisou em 6 delas. Aquariano, é fascinado por viagens fazendo jus ao signo. Apaixonado pela Patty.

Comente